top of page

Espécie ou cartão: qual é a melhor forma de levar dinheiro para o intercâmbio?

Atualizado: 22 de mai. de 2023




Uma das principais dúvidas de quem vai fazer intercâmbio em outro país é saber qual a melhor forma de levar dinheiro na viagem. Afinal, esse não é um assunto tão presente no nosso dia a dia, não é mesmo?


No mercado, existem algumas possibilidades de comprar moeda estrangeira, entre elas, podemos citar: dinheiro em espécie, cartão pré-pago e cartão de crédito internacional.


Assim como todas as opções disponíveis no mercado, essas três têm vantagens e desvantagens. Vamos apresentá-las a seguir, destacando os pontos positivos e negativos de cada uma, para você entender e avaliar qual vale mais a pena.


Espécie


O dinheiro em espécie, também conhecido como papel-moeda, é a opção mais tradicional de levar recursos ao exterior. Atualmente, é a maneira mais barata também, considerando que o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) cobrado é de 1,10%.


O lado positivo dessa alternativa, portanto, é o fator econômico e a aceitação na maior parte dos estabelecimentos. Embora o dinheiro esteja cada vez mais digital, há lugares que ainda privilegiam a moeda física.


Já o ponto negativo do dinheiro em espécie é a questão da segurança. Já pensou comprar uma alta quantidade de dólar e ter que andar com um bolo de notas no bolso durante a viagem? Não é uma prática recomendada, porque se houver furto ou extravio, dificilmente você conseguirá recuperar o valor.

Cartão pré-pago


A segunda opção é o cartão pré-pago que, no exterior, funciona como um cartão de crédito normal. Mas você vai ver que ele tem muitas diferenças com o cartão de crédito. Uma delas é que você deve carregar o cartão com o valor que desejar, por meio de uma empresa especializada em câmbio, como é o caso da B2Gether.


Começando pelas vantagens dessa opção, podemos destacar a questão da segurança e praticidade. Nele, você pode ter uma quantia alta e contar com uma segurança maior. Isso porque, caso você perca ou seja furtado, é possível bloquear o cartão e solicitar outro, preservando o valor que você carregou.


Por outro lado, o cartão pré-pago é mais caro que a espécie, principalmente em função do IOF, que é de 5,38%.


Cartão de crédito internacional


Anote essa informação: o cartão de crédito internacional é, de todas, a opção menos vantajosa. E estamos ressaltando isso para o bem do seu bolso, viu?!


Além de o IOF ser de 5,38%, a taxa cambial (preço da moeda estrangeira em reais) é cobrada quando a compra é liquidada. Ou seja, se você estiver na Europa e comprar algo quando o euro estiver em alta, com certeza terá surpresas desagradáveis na hora de receber a fatura (sem contar algumas tarifas adicionais que sempre aparecem).


Mas nem tudo é ruim, tá?! Contar com um cartão de crédito diante de situações de urgência ou necessidade, ajuda demais. Então, vale a pena ter um na carteira, contanto que seja usado apenas em último caso.


Beleza, mas qual é, afinal, a melhor forma de levar dinheiro para o exterior?


A melhor prática é variar as opções. Por exemplo: levar parte dos recursos em espécie e parte no cartão pré-pago.


No caso da segunda alternativa, embora o IOF seja mais alto, a taxa cambial é cobrada no ato de carregar o cartão, o que garante previsibilidade, ao contrário do que ocorre com o cartão de crédito internacional.


Ou seja, você sabe quanto vai pagar na moeda estrangeira e pode comprar (carregar) aos poucos, garantindo um preço médio frente às oscilações constantes do mercado de câmbio.


Ah, e mais uma dica: como a B2Gether é patrocinadora da Soul Bilíngue, colaboradores e alunos da ONG podem contar com o suporte do nosso time de analistas para tirar dúvidas e comprar moeda com taxas competitivas (as menores e mais justas do mercado).


Então, caso precise comprar moeda estrangeira, você pode entrar em contato com a B2Gether (pelo WhatsApp 11 99162-3813) para fazer a operação.


Até a próxima!


263 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page