top of page

“Se não fosse a Soul Bilíngue, eu não teria coragem”, diz embaixadora que se mudou para a Holanda

Aline Martins, de Suzano (SP), volta para a Europa, dessa vez para experiência internacional de um ano; em 2022, ela estudou inglês com a Soul Bilíngue em Cork, na Irlanda


Destaque do programa Soul Bilíngue em 2020, Aline Martins vê o passaporte cada vez mais repleto de carimbos

“Certeza que se não fosse a Soul Bilíngue, eu não teria coragem de ter vindo”. A frase é de Aline Martins, jovem embaixadora que acaba de chegar na Holanda, onde viverá por um ano. A decisão de morar na Europa, largar o emprego e se despedir da família no Brasil é uma consequência direta da experiência vivida em 2022, quando fez intercâmbio com a Soul Bilíngue e a Icot College, na Irlanda.


Despedida dos pais, momentos antes de embarcar para a Holanda. "Me apoiaram muitio"

Aline é filha do programador e controlador de produção Pedro Antonio da Silva e da doméstica Maria Lucia Martins, de quem recebeu todo o apoio necessário e foi muito difícil se despedir, novamente. “Pensei em desistir muitas vezes, por causa deles”, afirma a corajosa jovem de Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo. Ela chegou na cidade de Hage esta semana.



Holanda

País de fronteira com a Bélgica e a Alemanha, a Holanda foi o destino escolhido por Aline por ser exigir que o processo de aplicação para uma oportunidade de au pair seja intermediado por uma agência, o que dá mais segurança tanto para a família, quanto para o intercambista.



Ela cuidará de um bebê de quatro meses de idade e fará um curso de holandês. Como um de seus anfitriões já trabalhou em São Paulo, Aline conta que tem algo de Brasil no lugar. Um exemplo disso são os nossos pães de queijo, que a família come com frequência.


“Eles compram e congelam”, conta. “Até agora só fui até o mercado e (a nova rotina) é bem diferente, eu diria. Às vezes penso: ‘nossa, eu estou morando na Holanda, com uma família holandesa’. Estou amando porque me sinto em um filme”, diz.


O processo

O processo de aplicação para essa nova experiência internacional foi rápido. “Eu queria ficar mais tempo quando estava no intercâmbio da Soul, na Irlanda, e quis voltar desde que cheguei ao Brasil. Na internet, começou a aparecer para mim, do nada, vídeos do tipo ‘vá viver seu sonho’ e ‘prefiro viver a experiência do que imaginar como teria sido’. Aí, caí na real e vi que não dava para deixar para depois. Em janeiro comecei a pesquisar sobre o programa de au pair”.


Depois do match com a família holandesa, Aline tirou o visto em apenas quatro dias. No último fim de semana, dentro de um prazo que pôs numa folha de objetivos de 2023, ela embarcou.

Meta no papel: Sonho de ir para a Holanda concretizada

O papel da Soul Bilíngue

Em pesquisa interna sobre o pós-intercâmbio, a jovem contou que entrar para a Soul a tornou mais madura e independente. “Acho que isso melhorou muito em mim, principalmente pelos desafios que a Soul colocava, pois eu precisava sair da minha zona de conforto pra conseguir realizá-los”. Sobre o intercâmbio na Irlanda, a principal descoberta foi que “há um mundo gigante e enquanto eu estava apenas ‘no meu mundo’”, diz.


Aline tornou-se jovem embaixadora da Soul Bilíngue após ser um dos destaques do programa no primeiro semestre de 2020, garantindo a bolsa de intercâmbio para estudar fora.


Apoie nossas histórias

A Soul Bilíngue é uma organização social que abre as portas do mundo para jovens de baixa renda. Já são mais de 2 mil pessoas diretamente impactadas pelo programa imersivo de inglês e mais de 30 viagens para fora do Brasil, desde 2018.


Apoie nossa causa e e encoraje novas Alines a viverem o sonho do intercâmbio junto com a gente. Clique aqui e faça já sua doação.

164 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page