Programa Soul Bilíngue alcança jovens de 17 estados brasileiros

Nesta 2ª edição do ano, organização atende estudantes de baixa de mais 110 municípios do Nordeste, Sudeste e Norte

O programa da Soul Bilíngue já impactou mais 2 mil jovens de baixa renda com imersão no inglês, bolsas de intercâmbio e premiações por desempenho. A organização segue ampliando seu alcance e neste semestre, atende estudantes de mais 110 municípios, espalhados por 17 estados nas regiões do Nordeste, Sudeste e Norte do país.


Mais de 74% dos estudantes são oriundos da região Sudeste, 23% do Nordeste e 2,4% do Norte. Esta é a segunda edição da Soul Bilíngue nos estados nordestinos e adesão ao programa cresce cada vez mais. Isso porque, em comparação com o primeiro semestre deste ano, o número de jovens vindos desta região aumentou 50,9%. Por outro lado, esta é a primeira edição recebendo participantes do Norte.


Além disso, o perfil dos participantes desta edição mostra que mulheres e pessoas autodeclaradas negras ou pardas continuam sendo a maioria no programa. Dos 330 estudantes, mais de 74% são mulheres e 57% são negros ou pardos.


Estudantes da edição

Kemily Bezerra, estudante desta edição

A aluna Kemily Bezerra, 20 anos, de Manaus, no Amazonas, conheceu o programa Soul Bilíngue pelas redes sociais. Ela é uma das primeiras nortistas da organização e se inscreveu sonhando com a realização do intercâmbio. “Estava ansiosa pelo momento em que o programa seria aberto para minha região. A Soul Bilíngue reacendeu um sonho de estudar fora do Brasil que eu já tinha deixado de lado pela dificuldade de acesso e falta de incentivos”, explica a Kemily.


O carioca e agora estudante na Soul Bilíngue, Caio Alves, espera que com o programa aprimore o inglês e possa conectá-lo a pessoas de diferentes culturas. “Saber falar inglês irá me conectar com pessoas ao redor do mundo. Acredito que o programa da Soul Bilíngue não seja apenas um lugar para aprender inglês, e sim um local que transforma pessoas”, diz o jovem.

Ana Clara Damasceno, estudante desta edição

Para Ana Clara Damasceno, 21, de Juazeiro, na Bahia, aproveitar o programa totalmente é um de seus objetivos. “Só consigo esperar o melhor dessa experiência, quero aproveitar ao máximo todas as coisas, que só irão agregar na minha vida. É como uma construção pessoal e de conhecimento tanto no inglês como sobre diversos assuntos que nos são propostos. Acredito que além do desempenho, aproveitar essa oportunidade como crescimento pessoal é essencial”, finaliza Ana Clara.


75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo